MISSÃO

Acolher, reintegrar na família de origem ou substituta, promovendo autonomia a crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade, encaminhados pela Vara da Infância e Juventude de São Bernardo do Campo.

VISÃO

Continuar garantindo os direitos à vida, à saúde, à alimentação, à educação, ao lazer, à profissionalização, à cultura, à dignidade, ao respeito, à liberdade e à convivência familiar e comunitária, buscando sempre a excelência e qualidade no serviço, proporcionando o desenvolvimento da autonomia das crianças e adolescentes.

VALORES

• Acolhimento
• Transparência
• Responsabilidade
• Cuidado
• Integridade

Estatuto

LINHA DO TEMPO:
MUDANÇAS NA LEGISLAÇÃO

• Os orfanatos eram locais onde crianças e adolescentes permaneciam até completar a maioridade, privados do convívio familiar, geralmente a família era desconhecida. Os “órfãos” eram crianças sem lar, que viveriam a vida toda institucionalizadas. Os orfanatos eram mantidos por entidades e obras sociais, sem receber recursos governamentais.

• No final dos anos 80, com o surgimento do ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente), preconiza-se o convívio familiar em detrimento da institucionalização de crianças e adolescentes. Os abrigos começam a substituir os orfanatos e o poder público passa a ser responsável pelo cuidado das crianças e adolescentes nas instituições.

• Os Serviços de Acolhimento e medida de proteção são um terceiro passo no cuidado de crianças e adolescentes, visando o menor tempo possível de institucionalização e usado como último recurso, onde a criança permanece até que seja possível a sua reintegração familiar. Foi tipificado pela Portaria Nacional dos Serviços Socioassistenciais (PNAS) em 2008 e retificado em 2011.

HISTÓRIA

Desde adolescente, Milton Bigucci, tinha o desejo de realizar um trabalho para menores com vulnerabilidade social, foi em 1972 que teve a ideia de criar uma Instituição de Acolhimento. Na época era presidente do Lions Clube Rudge Ramos e convidou alguns amigos para realizar o projeto.

Em 1973 foi lançada a pedra fundamental, aquilo que seria o Lar Escola Pequeno Leão, e no ano de 1977 iniciou a construção em um terreno com 12.319,68 m² doado pela Prefeitura de São Bernardo do Campo.

A constituição jurídica foi consentida ao Lar Escola Pequeno Leão no Dia Mundial do Leonismo em 08 de outubro de 1981. O que parecia inatingível, impossível, tornou-se realidade.

No dia 22 de outubro de 1983 acolhemos o primeiro garoto com 7 anos, em novembro do mesmo ano, chegou mais 6 garotos de 3 a 6 anos.

“… Após 10 anos de construção, ideais e lutas, conseguimos dar vida habitando nossa obra…”

M.Bigucci